domingo, 6 de agosto de 2017

CORAÇÃO PARTIDO

Resultado de imagem para coração partido
Coração partido, meu  coração,
Tão cheio de vida, tão cheio
De emoção sentida, vivida,
Amarga, profunda e fingida.

Coração partido, meu coração,
Tem que mostrar-se forte mesmo
Quando a dor toma-lhe o peito
E o faz sofrer de emoção.

Coração partido, meu coração,
Passaste despercebido o teu sofrer
Desejos insanos do viver e morrer.

Coração partido, meu coração,
És tão fingido, chega a fingir-se frio,
Mesmo quando desanda em rios.
Andréia Franco, 07/08/2017.



domingo, 15 de janeiro de 2017

FELICIDADE É COISA SIMPLES

           
            Felicidade é coisa simples,
            Muitos a tem sem saber,
            Outros a perdem sem querer.

            Felicidade é coisa simples,
Acostumamos a tê-la, mas
Às vezes ela se vai, como um
Pássaro que voa, se alojar
Noutros ninhos, em busca de
Conforto e carinho.

Felicidade é o brilho nos olhos,
É o sorriso explosivo, é o
Estar feliz sem “aparente” motivo.

À vezes, a luz perde o brilho,
O coração perde a força, é preciso
Recarregar as baterias, rever a
Forma de viver, amar, ser.

A Felicidade varia como nossos
Estados de humor, às vezes, ela
Permanece, noutro dia, cria
Asas a voa.

Por isso, é preciso deixa-la
Ficar, atribuir-lhe valor.

É preciso aprender a lição
Dar valor ao que se tem, antes
Que a dor o ensine a dares
Valor ao que perdestes.

Felicidade é coisa simples,
Talvez seja o momento de
Rever o que é Felicidade,
Podes tê-la sem saber,
Perdê-la sem querer.
           
            Nobre amigo, tenhas cautela
Ao construíres castelos, os de areia
Desmancham-se ao soprar da primeira
Tempestade, é preciso estruturas mais
Sólidas, reforçadas, que permaneçam.

Felicidade é coisa simples...
Andréia Franco, 15/01/2017.








quinta-feira, 14 de julho de 2016

O AROMA

Imagem retirada do site: http://portfolio.vivilia.com

Todos os dias, ao tomar meu café, sinto um aroma que me agrada, chego a me sentir amada, brado poesias, sinfonias e melodias, o aroma m'acalma. 
O sonho invade minh'alma, fico melancólica, o aroma me lembra seu cheiro, minh'alma chora. 
O aroma me acalma, a sinfonia toca, seu perfume se mistura ao aroma, lembranças fugidias, memórias que se misturam e vazias.
Esse sonho invade minh'alma, me acalma, faço-me poeta com seu cheiro, teu perfume imunda meu mundo inteiro. 
O aroma me agrada como num sonho, plumas que não posso pegar, mas sinto-as como um beijo da beira-mar.
O aroma me agrada, faz-me sentir como num sonho, poesia fina.
O aroma faz-me lembrar de minha infância, quando eu era menina, pequenina.
O aroma me agrada em qualquer lugar, no sofá, na mesa, muda vontade de amar.
O aroma também me agrada no quarto, excita minhas ideias, num êxtase de prazer que alivia o estresse, pode crer. 
Quero o aroma na sala, na cozinha, na varanda, me sinto viciada em seu cheiro, ah, como o aroma m'agrada.
O aroma, assim como ele vem, ele também se vai, ele vem e vai, vem e vai, excita-me as palavras. 
Ah, o aroma, doce perfume que me faz declamar a melodia do amar.


Andréia Franco
14/07/2016



terça-feira, 28 de junho de 2016

AJUDE NOSSO BLOG




Por quê ajudar?
Nosso trabalho para elaboração de determinados textos demanda tempo, horas, dias, etc. então, nada mais justo que ganharmos pelo trabalho e esforço desempanhado.

Para onde vai o dinheiro arrecadado?
Bom, viver demanda despesas, usaremos os valores arrecadados para suprir nossas despesas, bem como, conforme possível, dependendo dos valores, patrocinar nossos projetos de livros.

Quem administrará o dinheiro?
Sou eu mesma, Andréia Franco (autora e administradora do blog), tenho diversos projetos de livros em andamento e os valores arrecadados com este blog ajudará a patrocinar os custos com publicação de tais livros, conforme a escrita de cada um deles for sendo encerrada. Nada mais justo que o escritor receber por exercer o ofício da escrita.


Como posso ajudar?

Temos conta no PayPal: anjohibrido_@hotmail.com

Contas em bancos:
Banco do Brasil
C/C: 0512-6
AG.:12851-1
Favorecida: ANDREIA FRANCO

Banco Bradesco
C/C: 0865-6
AG.: 0011184-8
Favorecida: ANDREIA FRANCO


Qual quantia posso doar?
Qualquer valor.


Em qual moeda posso doar? 
Em qualquer moeda via PayPal, já diretamente nas contas bancárias acima relacionadas em moeda real.


O que você ganhará com isso?
Minha gratidão por estar contribuindo para que eu, Andréia Franco, enquanto autora autônoma, continue a escrever e a publicar meus escritos.

Obrigada por sua visita ao meu blog e tudo de bom.

Andréia Franco
28/06/2016.

sexta-feira, 15 de abril de 2016

Perdi, mas não foi fracasso!





      Venho hoje neste singelo blog tratar de um tema que faz o indivíduo se sentir frustrado, culpado e incapaz: a sensação de fracasso.
      Um dos problemas do ser humano é querer assumir as rédeas da vida alheia, sem ao menos permiti-lo escolher o que ele de fato quer para sua vida e seu futuro. Está mais que provado que limites devem ser impostos em se tratando de relações, pois projetamos no outro o que nunca fomos ou conseguimos alcançar.
      Desse modo, sufocamos o outro com uma série de cobranças, expectativas, acusações, uma pressão psicológica que o sufoca e oprime, já que caso ele sinta que não atendeu tais expectativas, ele se martiriza e sente que o fracasso bateu à porta.  Sim, o fracasso bateu à porta, trazendo consigo uma série de sentimentos ruins, como o de incapacidade, frustração, de perda, etc., de fato, um verdadeiro turbilhão de emoções que mais deixam um sujeito doente que ajudam alguma coisa.
      Não é à toa que uma das doenças mais comuns do mundo moderno seja a depressão, pois as pessoas ao não conseguirem alcançar as expectativas projetadas pelo outro se deprimem e se autoflagelam, dando margem a uma série de pensamentos e sentimentos ruins que, aos poucos, vai matando sua autoestima, seu sorriso, sua esperança, enfim, tudo que alimenta sua alma e lhe dá vida e estímulo para viver. Para afirmar isso, cito a seguinte frase: “quando a alma sofre o corpo padece”.
      Nossa vida psíquica influencia na saúde de nosso corpo, uma mente doente fragiliza nosso corpo a ponto de torna-lo também doente. Isso significa, indiretamente, que ao projetarmos tantas expectativas no outro estamos contribuindo para a formação de uma geração psicologicamente doente. Sim, foi isso mesmo que eu disse, nosso corpo começa a assimilar tais discursos a ponto de acreditar que, de fato, não é capaz, que não passa de um indivíduo frustrado, que nada vai dar certo e que seus objetivos nunca serão alcançados.
      Costumo dizer que a mente humana é uma caixinha que guarda coisas boas e ruins, quando ela tem mais coisas ruins o corpo começa a adoecer, a ponto muitas vezes de não querer mais viver. Daí o seu excesso de projeção virou frustração, pois você projetou tantas  coisas fabulosas no outro a ponto de deixa-lo doente. Escrevo esse texto hoje como um alerta, para dizer que as palavras tem poder, seja para o bem ou para o mal, incorporamos e assimilamos a energia alheia. Falo isso em razão do caos que vem se tornando o mundo onde as pessoas sofrem pelos mais diferentes motivos, seja por falta de dinheiro, de emprego, pressão no trabalho, estresse, desilusão amorosa, etc.
      Não se autoflagele, seja seu próprio Deus, o único capaz e suficiente de mudar sua própria vida, vá ver o pôr do sol no entardecer, dê mais importância a relações reais, faça passeios, viagens, comece a colorir sua vida para que seus problemas possam ser superados.
      Não se culpe pelo que não aconteceu, é preciso aprender a perder e a ganhar, as coisas acontecem ou deixam de acontecer por um motivo, e esse motivo se chama destino.
      Deixo aqui o meu abraço, até a próxima e obrigada.

Andréia Franco
15/04/2016.



sábado, 12 de março de 2016

Era uma vez uma Pátria Amada chamada Brasil...



Era uma vez
Uma Pátria Amada
Chamada Brasil...

Era habitada
Pelos índios que
Tinham a força,
A beleza e a valentia
Do herói, mas
Faltou-lhe a arte
Da malandragem
Para fazê-lo
Tirar vantagem
Do ouro, pedras
Preciosas e iguarias
Finas que o fariam
Virar cowboy

Foi quando encontraram
Um povo que, em termos
De malandragem, eram
Diplomados...

Eles encontraram nos índios
Um povo fácil de doutrinar
Por isso nossa terra escolheu
Para nossas riquezas tomar

Ah, havia índias, servidas
Ao bel prazer dos exploradores
Para a sua vida adoçar, não é
Só de coisas materiais que eles
Satisfaziam-se, uma bela índia
Era um bom aperitivo
Para depois do jantar

Dom Pedro até dizia:
“Elas tinham suas partes
Íntimas bem cerradinhas,
Seus peitos pareciam
Mamões, suas curvas
Eram bem esculpidinhas,
Venham para cá bravos
Amigos vamos o Brasil
Colonizar e desse país
Se apossar...”

A beleza da indiazinha,
Além de mito, tornou-se
Propaganda para muitos
Desbravadores virem aqui parar

O índio, por sua vez, era
Um ser que até então
Não conhecia o capitalismo,
Cuja lição foi-lhe ensinada à
Base de ferro, fogo, sangue e
Muitas perseguições a seu povo...

Tomaram dos Índios
Nossa Pátria Amada
Chamada Brasil...
Mas, fico me perguntando,
O Brasil não seria de
Seu próprio povo?

Apesar de serem vítimas,
O índio não era bobo não,
Ele recebia presentes,
Perfumes e coisas diferentes
Em troca do ouro,
De vagar o colonizador
Roubava o povo...

Por falta de instrução,
O índio foi escravizado,
Injustiçado, perseguido,
Assassinado...

Muitas vidas se foram,
Muitas lágrimas rolaram,
Muitos sonhos jogados...

Num certo dia
Aconteceu a Abolição que
Pôs fim à escravidão.

Talvez, num erro
De interpretação
Eu tenha dito algo
Errado, não houve
Fim da escravidão,
Houve o começo de
Uma nova era onde
Tornou-se crime a
Escravidão, fato este
Que não impede
Senhores que, ainda
Hoje, buscam maneiras
De escravizar a população,
É incrível como manipulam
Nosso povo e agora querem
Um país comunista, é à volta
Da escravidão onde mulheres
Sem condições de comprar
O leite de seus filhos
Terão que cair na prostituição.

E assim as leis mudaram,
Tudo mudou, até mesmo
O sonho do pescador
Mudou...

Muitas famílias trabalharam
E aqui conquistaram
Seu pedacinho de chão...

Muitos anos se passaram,
O trabalhador aqui ganhou
Muitos direitos, bradava ele:
“Oh, Pátria Minha, aqui nasci
E aqui quero morrer!”

Em muitas regiões
Era como o bang-bang
As coisas se resolviam
Era na base do tiroteio.

Não havia Direitos Humanos
Era o mundo do cada um
Por si, um por todos, cada
Um que se proteja como pode,
Mas, quem entrar na guerra,
Entra sem saber se sairá vivo ou morto.

Muito se evoluiu,
Nas ciências, nas artes,
Criou-se uma tal de
Constituição para
Assegurar nossos
Direitos, os Direitos
Do Povo, este foi um
Grande Feito.

O Estado ficou
Então obrigado
A proteger a nação,
Mas, talvez seja este
Um erro de interpretação,
Ganha chá de cadeia
E/ou multa quem
Resolver protestar
E/ou até mesmo um
Pé na bunda pode-se
Pensar em ganhar

E olha que vivemos
Num país cuja Constituição
Diz ser Democrático de Direito,
Era um direito que
Bradávamos no peito.

Na lei, protestar não é
Proibido não, mas é
Proibido falar verdades
Que nunca se tem ouvido.

Num Certo dia,
Um sujeito assina um
Tal decreto dando
Terras do povo para
Os injustiçados índios,
Mas, aí te pergunto:
“O que eu tenho à ver
Com a briga dos Portugueses
Com esses tais índios?”

A mídia, toda comprada, nada
Fez para a verdade mostrar e
Agora pessoas estão perdendo
Suas casas, o único lugar que
Tinham para morar... estão
Tirando-lhes tudo o que a vida
Inteira levou para conquistar
Porque prefeituras, para cumprir
Tal decreto, dão autorização
Para desconhecidos de sua
Terra se apossar, esse é o
Troco que se ganha
Por se viver num país
Cujas eleições mais
Parece um jogo de bang-bang,
Compra-se o voto com o
Dinheiro do povo e, depois,
Criam-se decretos para
Assaltar o povo. É um
Roubo amparado numa
Tal lei que só serve
Pra fu... com a vida do povo.

Fico me perguntando
Cadê a tal da Constituição
Por que lá fala que brasileiro
Tem direito a ter moradia,
Saúde e vida digna, de até
Mesmo ter sua própria mansão,
Mas como alegria de pobre
Dura pouco, o povão é
Um ser desgraçado, o
(Des)governo deixa-nos
Sofrendo às mínguas, não
Passamos de pobres coitados
Nas mãos de ladrões que
Roubam, aos poucos, nossa
Dignidade, nosso espírito,
Nossa nação...

É isso que o povo ganha
Ao colocar nosso país
Nas mãos de ladrão,
Ficamos chupando dedos
Enquanto o sistema
Vai-nos engolindo
Até o caixão.

Fico me perguntando
Cadê a tal da Constituição
E dos Direitos Humanos,
Ô minha filha, você sumiu!...

Constituição,
Direitos Humanos,
Este é o grito de
Toda uma nação!...

Andréia Franco
Aparecida de Goiânia-GO, 27/02/2015.


- FRÁGIL É QUEM PENSA QUE MULHER É FRÁGIL!

             

            Resolvi escrever hoje esse texto para que nossas mulheres estejam cientes e acordem para a força que emana de dentro delas, de modo que podemos citar dois tipos de força humana: a interior e a exterior.
            Ideologicamente, o homem é representado enquanto indivíduo detentor de uma força “máscula” que surpreende até mesmo o mais leigo dos humanos, pois se constrói verdadeiros monumentos, obras de arte, etc.. Ressaltemos também a participação da mulher nessa sociedade que temos hoje, pois muitas delas deram suas vidas a determinadas causas, seja no lar, no trabalho, na faculdade, etc. Portanto, vale a pena dizer que um sexo não é melhor que o outro, mas que participam de formas distintas dentro da sociedade.
            Equiparando as duas balanças, fica mais fácil compreender que: “- Frágil é quem pensa que mulher é frágil!”, já que o discurso do dominador demonstra e reconhece certa “dependência” da personagem feminina na sua vida, pois necessita tê-la sobre seu controle. Então, “beijinho no ombro pra elas”, os recalcados que se cuidem, “mulher na direção, tranquilidade constante”.
            Vamos entender que a fragilidade é uma qualidade inerente a qualquer ser humano, já que todos nós, em determinados momentos de nossas vidas, nos tornamos frágeis, não é à toa que sentimos dor, choramos, reclamamos, ficamos doentes, etc. Em razão disso, deixemos de lado a noção de que somente a mulher é frágil, porque quem diz isso é, de fato, porque acredita no seu potencial, mas que entende que tal capacidade precisa ser “freada”, uma vez que o dominador precisa fazer a sua vítima entender que, além de frágil, ela é incapaz de se auto prover sozinha, pois ela precisa acreditar nisso, do contrário fugirá do controle do dominador.
            O que mal nos apercebemos na simples frase: “mulher tem sexo frágil” é a necessidade de dominação e controle do sexo oposto. Já dizia o ditado: “quem te perturba te controla”, eis a razão de se criar leis que mais repreendem que protegem a mulher. Vejamos bem os contos de fada onde a donzela indefesa precisa ser salva pelo príncipe. Coitadinha da princesa, é “incapaz” de “ser alguém” sem o príncipe, não conseguirá se salvar sem ele e, ao final, irá se casar com ele.
            Narrativas sutis, mas que não deixam de serem instrumentos de manipulação em massa, para dizer que a mulher, enquanto ser indefeso e frágil, precisa viver sobre a “proteção” do sexo oposto. Não vou me manifestar aqui contra ou a favor, pois a verdade é que cada um de nós somos donos de nossa própria vida e responsável por nossas escolhas, mas o fato é que acabamos por nos tornar “fruto” dessa manipulação em massa, acreditando que o príncipe encantado existe, que a vida pode ser “um verdadeiro paraíso”, que a caverna é o melhor lugar para se habitar, etc. Eis a ilusão que tanto nos acompanha e paira em nossas mentes.
            Com isso, parte de nossa vida é “jogada” pela janela, pois dentro de uma “caverna” você tem medo de ir ao encontro do desconhecido porque simplesmente disseram pra você que o desconhecido é um universo perigoso, que você é frágil e indefesa, precisa estar sobre a “proteção” do dominador. Assim, você ficará à disposição do dominador, não terá vida própria, pois você acredita que depende dele para se manter e que é incapaz de viver sozinha. Eis a ideologia, os paradigmas que mais assaltam nossas vidas, pois o tempo passa, a vida passa, os anos passam e, depois de muito servir a “interesses alheios”, percebe que o tempo passou, que suas mãos já estão calejadas, que você virou descartável porque simplesmente seus cabelos ficaram brancos e o gosto do manipulador mudou. Isso faz você se sentir mais uma “mercadoria” que propriamente um ser humano. Você não sabe onde “errou”, quando na verdade seu maior erro foi acreditar que você nunca seria capaz de determinadas coisas (como viajar, estudar, trabalhar, etc.), de sair da caverna que você criou em torno de si mesma.
            As histórias em quadrinhos geralmente contam as princesas usando sapatinhos de cristal, mas não mostram que esses sapatinhos ficam velhos, que os príncipes ficam rabugentos e as princesas também, que o sempre do: “felizes para sempre” sempre tem um fim. Vida a gente só tem uma, oportunidades às vezes só uma, não desperdicem determinadas oportunidades de suas vidas, pois as portas, assim como elas se abrem, elas também se fecham, lágrimas um dia secam, pés no chão.
            Se no mundo não existem direitos iguais é porque as leis foram criadas para beneficiar uns em detrimento de outros. Então mulheres, lutem porque conquista se ganha com luta e persistência, mar de rosas só existe em jardins que, depois de um longo trecho caminhado, as rosas ficam para trás, dando espaço para um solo quente, áspero e rústico.
            Deixo aqui o meu abraço, meu carinho e eterna admiração a essas mulheres que tanto nos ajudam a levantar esta nação.
Saudações.

Andréia Franco
Jornalista (MTB 3409/GO)
12/03/2016.